Momentos económicos… e não só

About economics in general, health economics most of the time

Gabinete de crise, na Radio Observador – vivendo com o coronavirus (37)

2 comentários

Esta semana, no Gabinete de Crise na Rádio Observador, o foco da atenção foi o trabalho dos médicos de família, que estão a acompanhar e a tratar a maioria dos doentes confirmados com COVID-19.

Como tem sido habitual, deixo aqui o meu resumo do que abordei.

Número da semana: 97%. 

É a proporção das pessoas com covid-19 confirmada que está a ser seguida pelos cuidados de saúde primários. Há aqui um importante trabalho invisível dos médicos de família no seguimento destes doentes, bem como um trabalho de base dos médicos de saúde pública na identificação dos contactos e nos casos suspeitos. A resposta do SNS é muito mais do que realizar testes e dar tratamento hospitalar. 

Média de novos casos diários por semana (semana “Gabinete de crise”, de 6ª a 5ª seguinte)

 Lisboa e Vale do TejoResto do PaísTotal nacional
8 a 14 de maio118110229
15 a 21 de maio15868227
22 a 28 de maio20634240
29 maio a 4 junho25925285

Nota: valores arredondados à unidade

Mito da semana: o calor vai fazer desaparecer o virus da COVID-19.  

Infelizmente não vai, não é claro sequer que atenue. Também aqui a incerteza sobre o vírus é grande. Ainda não se sabe qual a sazonalidade que possa haver, mas todos os paises, seja inverno ou verão ou primavera ou outono, têm tido que lidar com o vírus. Por isso, teremos que manter os cuidados durante as quatro estações do ano enquanto não houver vacina ou tratamento.

Esperança da semana: esperança no sentido que querer que algo aconteça, esperança que os surtos que têm surgido na zona de lisboa sejam realmente limitados na sua extensão.

A intervenção rápida das autoridades de saúde, no detetar, testar, conhecer contactos e isolar quem for positivo para a COVID-19 dá esperança que sejam situações contidas e sem dar a origem a um crescimento acelerado. A esperança está na decisão rápida, e no cortar os contágios possíveis. 

A evolução recente desta semana não vai de encontro a esta esperança, pelo que é uma esperança da semana que contém a esperança de se conseguir uma evolução em Lisboa que inverta a evolução do último mês. 

Por outro lado, a esperança positiva da semana passada foi cumprida – não tivemos surtos associados com a possibilidade de visitas aos lares e às residências de idosos. Os cuidados que estão a ser tidos por todos têm garantido este resultado.

Autor: Pedro Pita Barros, professor na Nova SBE

Professor de Economia da Universidade Nova de Lisboa

2 thoughts on “Gabinete de crise, na Radio Observador – vivendo com o coronavirus (37)

  1. SIm, mas, quando detectam algum doente, qual o tratamento que dispensam os médicos aos infectados?

    Gostar

Deixe um momento económico para discussão...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s